Entenda a importância da ficha técnica para confeitarias

Uma das principais ferramentas para garantir a qualidade dos seus doces é a ficha técnica para confeitarias

Assim como em todos os tipos de negócio, é preciso haver uma padronização dos seus produtos, para garantir a sua qualidade. 

Mas, além disso, a ficha técnica é também uma ferramenta de gestão financeira da sua confeitaria que irá ajudar na sua contabilidade. 

Para entender para que serve e o que é essa ficha técnica, continue lendo e iremos ensinar também como a fazer. 

O que é e para que serve a ficha técnica?

A ficha técnica é uma ferramenta utilizada para ajudar você a calcular o custo total dos produtos que você vai vender e, consequentemente, o seu preço. 

Portanto, se o seu negócio é uma confeitaria, uma ficha técnica irá definir o custo total, ou seja, quanto você gastou, para produzir um bolo, por exemplo. 

Então, é um instrumento utilizado para padronizar essa valorização dos seus produtos, buscando um preço justo e que lhe dê uma boa margem de lucro. 

Dessa maneira, a ficha técnica para confeitarias terá como objetivo definir todos os custos embutidos na produção de um produto, para que você saiba como rentabilizá-los e dar o preço mais justo a eles. 

Mas, apesar de este ser o principal objetivo da ficha técnica, não é apenas para isso que ela serve. 

Pois, como você precisa listar bem os ingredientes, as quantidades e tudo que envolve a preparação do produto para calcular o seu custo, serve também para padronizar as suas receitas. 

Assim, você cria um padrão de receita e garante a qualidade do seu produto toda vez que ele for feito. Ou seja, todos os bolos vão ser igualmente deliciosos. 

Sem contar com a ajuda que isso dá na hora de organizar os ingredientes, o estoque, a definição dos fornecedores e a preparação dos bolos e doces. 

Entretanto, exatamente por ter muitos detalhes e informações que são muito importantes para a preparação, dá um pouco de trabalho montar uma boa ficha técnica. 

Mas, sem dúvidas, depois de pegar o jeito, é mais rápido e você verá como isso otimiza todo o seu processo e ajuda a garantir a excelência nos seus doces.  

Sendo assim, um instrumento fundamental para tornar o seu negócio mais profissional e conquistar a confiança dos seus clientes.

Como fazer uma ficha técnica para confeitarias? 

Toda ficha técnica será diferente, de acordo com o produto, os seus ingredientes, quantidades e modo de preparo. 

Portanto, cada produto, ou doce, terá uma ficha técnica especial, individualizada, e deve ter todas as informações necessárias para a produção desse produto – nunca é demais. 

Mas, existe sim um padrão de ficha técnica que você deve seguir para que ela tenha tudo que precisa ter em uma ficha dessa.

Portanto, existem algumas colunas na sua ficha técnica que não podem faltar e tem como objetivo a identificação da receita para tornar mais fácil achá-la. 

Então, as primeiras colunas da sua ficha devem ser “Receita” ou “Nome” e “Confeiteiro”. 

Ou seja, para que seja possível identificar qual é o nome da receita que será descrita na ficha e quem é o responsável por essa receita, caso haja mais de um confeiteiro na sua loja. 

É importante nesse início colocar também a data da ficha, só por uma questão de organização. 

Além disso, você deve colocar essas fichas todas em um mesmo sistema. Pode imprimir também para ter a ficha fisicamente ao lado quando faz as receitas. 

Mas, é fundamental que você tenha um sistema com todas as receitas onde seja fácil acessar e consultá-las quando você precisar. 

Então, você deve passar para as informações sobre a receita em si. O recomendado é que você faça em colunas. 

Itens essenciais em uma ficha técnica

  • Ingredientes: descrevendo todos os itens presentes na receita; 
  • Tempo de preparo: Indicando o tempo total para preparar o produto; 
  • Tempo de forno: Quanto tempo ele irá ficar no forno para ficar pronto; 
  • Quantidade total: A quantidade total do ingrediente específico;
  • Unidade: definir uma unidade de medida para todos os ingredientes; 
  • Valor pago: O valor total pago por pacote daquele ingrediente; 
  • Valor unitário: O valor do peso utilizado do ingrediente, de acordo com o valor total; 
  • Quantidade utilizada: A quantidade utilizada do ingrediente na receita;
  • Custo: Calculado multiplicando o valor por unidade do produto com a quantidade do ingrediente que foi utilizada; 
  • Custo total: A soma de todos os custos.

Além disso, é importante separar uma parte da planilha para as porções. Essa parte é feita para você calcular o valor por porções, por exemplo, de um bolo. 

Então, você deve ter um campo com o peso total do ingrediente e o custo da porção inteira. Para então, definir quantas fatias aquele produto tem. 

Uma vez que você definiu a quantidade de fatia que o bolo tem, você consegue dividir o peso total pela quantidade de fatia, para saber o peso de cada fatia. 

E então, calcular o custo de fatia, de acordo com o custo total. Tudo isso deve ser programado em uma planilha para que esses valores sejam calculados automaticamente. 

É importante também deixar uma área para o modo de preparo, onde você deve colocar passo a passo de como a receita deve ser feita, com todas as técnicas. 

Além disso, também é bom descrever os utensílios utilizados e demais custos que possam estar envolvidos além dos ingredientes. 

Esses custos consideram o custo do seu trabalho, das contas de água, luz e tudo que você pagou para poder produzir aquele bolo.  

 

Conclusão

Portanto, a ficha técnica para confeitarias é um dos principais instrumentos que uma confeiteira tem para padronizar os seus doces. 

Mas, muito mais do que isso, serve para que você possa ver qual é o custo total do seu produto e decida por quanto você irá vendê-lo. 

Assim, você garante que terá uma boa margem de lucro, enquanto consegue vender os seus doces por um preço justo e acessível, garantindo a boa quantidade de vendas. 

E aí, esse artigo lhe ajudou? Se sim, deixe aqui o seu comentário e compartilhe-o em suas redes sociais.