Gestão financeira para restaurantes: como gerir um negócio de sucesso?

 Fazer a gestão financeira de um restaurante de pequeno ou médio porte é fundamental para o sucesso do seu negócio. 

É preciso organização e otimização na gestão para que os recursos sejam utilizados da maneira mais inteligente possível. 

Por isso, é preciso investir tempo na gestão financeira do seu negócio, evitando desperdícios e aplicando estratégias para aumentar o lucro. 

Portanto, continue lendo o artigo para saber tudo sobre como fazer uma boa gestão financeira do seu restaurante. 

Qual a importância da gestão financeira?

Para se dar bem no ramo de alimentação, não basta apenas saber cozinhar ou oferecer um excelente produto ou serviço para o cliente. Claro, isso é muito importante. 

Mas, a gestão financeira do seu negócio, é fundamental para que o negócio tenha sucesso, seja um restaurante ou uma confeitaria

Principalmente porque no ramo da alimentação é preciso alguns cuidados particulares que talvez alguém que já tenha gerido alguma loja de outro ramo não saiba. 

Entre essas particularidades, podemos mencionar, por exemplo, o problema de estoque, por estarmos lidando com produtos perecíveis. 

Além disso, são muito estreitas as margens de lucro desse negócio. Por isso, podemos considerar que, junto com a qualidade e sabor do produto oferecido, a gestão financeira irá definir o sucesso do seu negócio. 

Um grande erro é achar que essa gestão é simples e que a parte financeira, como os preços, podem ser definidos de acordo com a sua intuição. 

Até a criação do cardápio deve ser feita pensando no financeiro. Por exemplo, se você fizer um cardápio contando com ingredientes que não são fáceis de achar o ano todo, o seu preço vai elevar. 

Portanto, separamos aqui alguns passos para garantir uma boa gestão financeira para os seus restaurantes. 

1. Comece com um bom planejamento 

Antes de mais nada, é preciso fazer um bom planejamento do seu restaurante. Afinal, o objetivo é ter lucro, e para isso você precisa de estratégias. 

Portanto, é fundamental que o responsável por essa gestão financeira faça parte de todo o planejamento do restaurante, investindo também em conhecimento não apenas financeiro, mas de marketing e gestão. 

Pesquise o seu público alvo, entenda o que eles esperam do seu serviço. Pensando no seu objetivo e no seu público alvo, pesquise os seus concorrentes. 

Então, estabeleça metas e objetivos, incluindo expectativas de vendas, estratégias de marketing e investimento financeiro.

2. Escolha bem os seus fornecedores

Uma vez que o seu planejamento foi feito, está na hora de escolher os seus fornecedores. Essa escolha é importante para a sua reputação e o seu sucesso. 

Pois, você deve escolher um fornecedor de confiança, que você tenha certeza que nunca irá lhe deixar na mão nos momentos que você precisar. 

É preciso contar com o seu fornecedor. Além disso, é necessário escolher um fornecedor que ofereça produtos de qualidade. 

Para isso, verifique a procedência dos produtos, assim como todos os documentos e informações disponíveis sobre eles. 

Portanto, se estiver tudo legalizado e com a qualidade comprovada, está na hora de pesquisar os preços e escolher o melhor custo benefício para você. 

Então, uma vez fechado o contrato, é importante estar sempre verificando todos os documentos, como nota fiscal e a integridade e qualidade do produto entregue.

3. Faça um bom acompanhamento do fluxo de caixa 

O fluxo de caixa é um dos principais pontos da gestão financeira de um restaurante e precisa ser acompanhado de perto. 

Pois, o fluxo de caixa irá indicar o saldo diário de caixa, para que você esteja sempre ciente da situação financeira do restaurante e possa planejar corretamente. 

É muito importante para futuras tomadas de decisão e planejamento de estratégias, de acordo com o ritmo das vendas. 

Então, você irá registrar todas as saídas do caixa, que contam com os gastos com fornecedores, despesas com o local, material, salários e qualquer serviço que você utilize para funcionar. 

Ao mesmo tempo, irá contar todo dinheiro que entra, seja o saldo diário em caixa, o saldo existente na conta da empresa e também o recebimento em cartão. 

Se você fizer esse acompanhamento de perto, você terá sempre um balanço no final do mês, e terá tudo organizado.

Lembrando que fluxo de caixa é diferente de DRE, Demonstrativo de Resultados do Exercício, e ambos precisam ser feitos. 

O DRE tem como principal função dar uma visão mais ampla do financeiro, sem contar apenas com o dinheiro em caixa.

4. Faça um bom controle de estoque

Um dos principais problemas de se gerir um restaurante é a questão do estoque, por estarmos lidando com produtos perecíveis. 

Portanto, é preciso de um excelente planejamento, levando em consideração a validade desses produtos na hora da compra e do planejamento. 

Além disso, deve também ter a quantidade suficiente para que nunca falte, de acordo com a demanda, e evite também desperdício

Planejar o estoque é muito importante, e uma excelente maneira de reduzir custos, se for bem planejado com a quantidade ideal de produtos. 

5. Utilize softwares e tecnologias para fazer a gestão financeira 

Para fazer esse acompanhamento de fluxo de caixa, balanço e planejamento financeiro do seu negócio, é importante utilizar ferramentas que otimizem isso. 

Portanto, use e abuse da tecnologia para essa administração. Utilize softwares que facilitam o seu controle do fluxo de caixa, mas não apenas isso, que também organize os seus planejamentos, metas e objetivos. 

Além disso, automatize também os pagamentos, o controle do estoque e todo o seu sistema. 

A tecnologia pode ser sua aliada nessa gestão, ajudando na organização e automatizando a contabilidade dos produtos em estoque. 

Conclusão

Então, é preciso utilizar todas as ferramentas que você tem disponível para fazer uma boa gestão financeira do seu negócio. 

É preciso acompanhar de perto o fluxo de caixa para definir estratégias e saber como fazer o melhor controle de estoque possível. 

Use todas as ferramentas que você tiver acesso e que possam lhe ajudar nesse processo, otimizando e organizando essa gestão. 

E aí, gostou desse artigo? Se você ainda tem alguma dúvida, deixa aqui o seu comentário e iremos lhe ajudar!