Saiba quais são os riscos da salmonella para a sua saúde

A salmonellarepresenta um grande perigo para a saúde dos humanos. Ela tem origem nas fezes dos animais, como galinhas, porcos, bois e até mesmo na dos animais domésticos.

A bactéria pode contaminar alimentos que de alguma forma entraram em contato com os dejetos animais. Um exemplo clássico nesse sentido é o ovo de galinha, justamente porque ele passa pela cloaca da ave. 

Ficou preocupado? Calma. Ainda neste texto, nós, da Ovos São Pedro, vamos explicar melhor sobre esses riscos e como deixar tudo mais seguro. Então, nada de alarme, hein! Acompanhe!

Salmonella: o que é e onde vive?

A salmonella é uma bactéria da família das Enterobacteriaceae. Possui duas espécies causadoras de doenças em humanos:  S. enterica e S. bongori. Elas vivem no intestino dos animais e são eliminadas pelas fezes. 

Riscos para a saúde pública

Qualquer alimento que tenha entrado em contato com as fezes dos animais são vias de transmissão da salmonelose tifoide e febre tifoide, doenças causadas pela salmonella. Estas já foram consideradas problemas graves de saúde pública. 

Os sintomas da salmonelose não tifoide podem ser bastante desagradáveis. Geralmente é autolimitada em pessoas saudáveis, embora possa levar à morte em alguns casos.

Já a febre tifoide é mais grave e tem uma taxa de mortalidade maior que a salmonelose não tifoide. 

A maioria dos casos da doença apresenta sintomas típicos de uma Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA), tais como:

  • Vômitos;
  • Dores abdominais;
  • Febre;
  • Diarreia;
  • Mal-estar geral;
  • Cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Calafrios.

Estes sintomas podem surgir entre 6 e 72 horas após o consumo do alimento contaminado. Costumam permanecer por cerca de 2 a 7 dias, até a completa recuperação do paciente. 

É importante lembrar que o contato com animais de estimação como gato e cachorro também pode transmitir a bactéria. Isso ocorre principalmente se logo depois do contato as mãos não forem lavadas. 

Os sintomas da doença também podem variar de acordo com a quantidade de alimento contaminado consumido e o nível de contaminação dele.

Não deixe de conferir também:

Veja os benefícios do ovo cozido e como ele pode melhorar sua saúde

Validade do ovo: qual a maneira correta de conservar ovos?

Contaminação por salmonella

Embora a salmonella comumente esteja associada a produtos de origem animal, alimentos frescos, quando contaminados, também transmitem a doença.

Alguns exemplos incluem:

  • Carnes;
  • Aves;
  • Leite e produtos lácteos;
  • Pescados;
  • Temperos;
  • Molhos de salada com ovos não pasteurizados;
  • Misturas de bolo;
  • Sobremesas que contêm ovo cru.

A contaminação pode ocorrer tanto pela forma de preparo quanto pela demora ao consumir o produto. Alimentos que ficam por muito tempo expostos podem ser colonizadas pela bactéria.

Como é feito o diagnóstico da infecção por salmonella (salmonelose não tifoide)?

A detecção da salmonella pode ser feita pela análise de amostras dos alimentos suspeitos consumidos. As amostras devem ser coletadas durante a fase aguda, antes do tratamento com antibióticos.

Em pacientes com suspeita de febre tifoide, a pesquisa de Salmonella Typhi nas fezes é indicada a partir da segunda semana da doença. Ao confirmar o diagnóstico, o médico indicará o tratamento mais adequado.

O exame de fezes é fundamental porque ajuda o médico a identificar a bactéria que está causando o problema, permitindo selecionar o melhor antibiótico para eliminá-la.

Como é feito o tratamento contra a bactéria

Para casos leves, em que os sintomas não representem grandes riscos à pessoa, o tratamento pode ser feito em casa. É indicado repouso e a ingestão de bastante água para manter a hidratação e controlar os sintomas.

Já para casos mais graves, o médico pode recomendar a reposição eletrolítica, que fornece eletrólitos perdidos pelo vômito e diarreia. Em ambos os casos, a reidratação intensa são indicados. 

Devo tomar antibióticos?

Em casos leves ou moderados nos indivíduos saudáveis, o tratamento com antibióticos não é recomendado. Isso porque os medicamentos podem não eliminar completamente as bactérias e selecionar cepas resistentes, comprometendo a eficácia do tratamento.  

Grupos considerados de risco, como bebês, idosos e pacientes imunocomprometidos podem precisar receber antibióticos. Eles também podem ser indicados nos casos em que a infecção se dissemina do intestino para outros órgãos.

Duração do tratamento

O tempo de tratamento pode variar de acordo com órgãos atingidos, idade e condição de saúde do paciente.

Caso a infecção também provoque sintomas maiores como dor nas articulações, dificuldade em urinar, inflamações nos olhos e artrite, por exemplo, o tempo de tratamento deve se prolongar.

O que fazer em caso de evolução?

É normal que a infecção possa evoluir e o tratamento, que antes era feito em casa e sem medicamentos, precise de cuidados maiores.

Nessa situação, é indicado que o paciente busque acompanhamento o quanto antes, para evitar que a doença se agrave ainda mais.

Formas de prevenção a contaminação por salmonella

As medidas de controle podem ser tomadas em todas as cadeias da produção alimentar. Desde a produção agrícola até o manuseio e preparo dos alimentos.

Como é difícil saber exatamente a procedência dos alimentos, os cuidados devem sempre ser tomados em casa.

Alguns cuidados que você pode ter para evitar infecção por salmonella são:

  • Lave sempre as mãos antes, durante e depois de manipular ou consumir alimentos;
  • Lave bem os alimentos antes de consumir, especialmente frutas e verduras;
  • A carne deve ser bem cozida ou assada;
  • Os ovos devem ser bem cozidos;
  • Evite consumir alimentos em lanchonetes e restaurantes que apresentam condições precárias de higiene e conservação.

Agora que você já sabe como evitar a contaminação por salmonella, não deixe de compartilhar esta informação. Assim, você contribui para que outras pessoas não sejam vítimas da contaminação. Veja mais no nosso blog: Como armazenar alimentos perecíveis por mais tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *